Travessia

Travessia

Travessia

“Tudo se desestrutura pra você se estruturar”  – Alento, Marcelo Jeneci.

Esse é o tempo da travessia, aquilo que já foi um dia e agora não é mais a mesma coisa; não tem o mesmo sentido de antes. Saiu do lugar. Desconectou. Perdeu o rumo, ruiu. É o tempo de buscar outro caminho, falar e escutar, pensar, percorrer outros lugares. É tempo de se fazer uma nova viagem, construir outra trajetória, percorrendo outra rota.

A travessia tem a ver com tudo que se conecta com a nossa vida. É se deparar com o futuro vivendo cada fase da transição. A travessia nos envolve em sentimentos ambíguos, de dúvidas, de movimento e de escolha. Ela nos pergunta se queremos ir ou ficar, se queremos nos arriscar ou permaner onde estamos. É aquela busca constante de sentido, de autoconhecimento, de crescimento.

A travessia também é viver períodos de transição como o vestibular, o Enem, sair de casa e ir morar com amigos, romper ou assumir um relacionamento, mudar de cidade, escolher um curso no qual ninguém acredita, conseguir trabalho, ganhar dinheiro, fazer trabalho voluntário na África, assumir a sexualidade de forma plena, tornar-se vegano. É muita coisa!

Mas a travessia vale mais a pena, ainda, quando a gente se alia a pessoas do bem, “com gente fina, elegante e sincera”, como na música Tempos Modernos, do Lulu Santos. Viver a travessia com amigos e familiares queridos, que torcem por nós e nos ajudam a pensar… aqueles que  respeitam o nosso tempo,  falam de suas experiências sem querer decidir o nosso  caminho… Esses nos fortalecem com o seu afeto.

Ao longo da travessia, também erramos, nos arrependemos de um ou outro caminho trilhado, nos deparamos com obstáculos maiores do que podemos superar naquele momento, sentimos medo, decepção, tristeza. Paralisamos!!!

E aí? O que fazer? Que tal se inspirar na música Travessia, de Milton Nascimento, que nos mostra que a vida é muito mais do que o que já foi vivido, tem muitos recomeços? Na retomada, ela segue assim: “Tenho muito que viver. Vou querer amar de novo e se não der não vou sofrer. Já não sonho, hoje faço com o meu braço o meu viver”.

Na travessia, é permitido ir e voltar, recuar, buscar novos caminhos. O importante é poder reconectar-se consigo mesmo, dar-se uma nova chance para recomeçar, valorizando a experiência vivida e buscando inspiração para novas trilhas e rotas.

Nosso projeto Tem Lugar para Mim? está com você em sua travessia, nas Trilhas pelas quais você vai construindo o seu caminho, cada vez mais confiante e entendendo que sempre é possível refazer ou criar novas trilhas.