Conversas

Conversas

Conversas

Como as novas linguagens vêm fazendo parte das suas conversas?

Já parou para observar o quanto as pessoas ficam impacientes quando a outra fala de suas ideias sem parar? Ou dão lições de vida sobre um assunto, parecendo conhecer tudo sobre aquilo? Ou ainda, repetem o mesmo assunto e ainda, se detém em detalhes da situação narrada? É difícil suportar…

Para lidar com essas conversas pouco interessantes, algumas pessoas se dispersam e  tiram o foco da conversa: consultam o celular, procuram algo na bolsa, consultam agenda, olham para o “nada”…

Agir dessa maneira pode ser considerada, para alguns, como uma atitude de  falta de educação, para outros, uma dificuldade contemporânea de se manter uma conversa tranquila, coerente.  Trata-se de uma dificuldade real do século XXI…

Uma conversa de verdade, envolve o interesse de uma pessoa pelo que a outra está falando, uma escuta ativa, com perguntas e comentários ampliando o assunto, perguntando sobre os sentimentos envolvidos, ou mesmo, olhando atentamente, em silêncio enquanto a outra pessoa fala.

São diversas as manifestações de conexão numa conversa, independente do grau de relacionamento entre as pessoas, das idades e espaços de convivência onde estas atuam, seja no campo pessoal, familiar ou profissional.

Um tipo de conversa, própria do século XXI, se refere àquelas do mundo digital, presentes nas redes sociais, utilizadas para entretenimento e para soluções profissionais. Em tais  conversas, formas de linguagem como: Imagens, memes, emojis e curtidas passaram a integrar novas formas de comunicação e relacionamento.

Nesse mundo digital em que estamos vivendo, as juventudes, protagonistas dessas criações em seu tempo, buscam com essas formas de linguagem, o diálogo aberto, a interação entre grupos distintos, a vivência de múltiplas experiências e a facilidade de inclusão das diferenças, caracterizando, assim, suas formas de ser, agir e pertencer.

E você, como tem desenvolvido as suas conversas?